Quadro “Independência ou Morte”: obra chumbada na parede dificulta reforma

Imagem
 
A impossibilidade de remover a colossal obra de Pedro Américo é apenas um dos problemas da restauração, que será mais complexa e custosa do que se imaginava. Uma pedra com 8,43 metros de largura por 5,03 de altura entrou no caminho da reforma do Museu Paulista, mais conhecido como Museu do Ipiranga, interditado sob risco de desabamento em agosto de 2013.
A tela Independência ou Morte, pintada em 1888 por Pedro Américo, não pode deixar o salão nobre. Além de estar chumbada na parede desde 1895, ela não passaria por nenhuma porta do lugar mesmo que sua moldura fosse retirada. Sabia-se que esse manejo não seria fácil, mas agora a única solução encontrada é protegê-la com uma redoma de metal, com aberturas que viabilizem sua higienização e vistoria, enquanto os operários atuam no entorno.
Além do quadro de Pedro Américo, duas esculturas de mármore de Carrara do italiano Luigi Brizzolara e uma maquete de São Paulo de gesso realizada pelo holandês Henrique Bakkenist continuarão lá. As primeiras, pesadíssimas, estão localizadas nas entradas do prédio, retratam os bandeirantes Antônio Raposo Tavares e Fernão Dias Paes Leme e medem 3,7 metros de altura. A miniatura da metrópole, de 6 por 5,1 metros de área, foi feita entre 1920 e 1922 dentro da galeria da ala oeste, onde está instalada.

 

 

Matéria completa em: http://vejasp.abril.com.br/materia/reforma-do-museu-do-ipiranga
Por Catharina Nakashima

 

Anúncios
Esse post foi publicado em visita virtual e marcado . Guardar link permanente.